• Guia de Investimento

Como usar o blog a favor da sua marca


Se tem algo que ganhou a preferência das marcas nas últimas décadas, e se mostrou como uma alternativa indispensável para publicidade e divulgação, é o marketing digital. Mas dentro dele, algumas dúvidas permanecem, por exemplo, a de como usar o blog.


Realmente, foi-se o tempo em que bastava ter um site institucional no ar, como se as pessoas simplesmente fossem entrar na página para tirar dúvidas que um manual do produto pudesse tirar, ou a respeito de dados de contato da empresa.


Hoje, um site precisa praticamente “conversar” com seu público-alvo, levando até ele os conteúdos mais originais e relevantes que se pode imaginar. Sem isso, certamente a página não geraria engajamento nem atenderia às demandas básicas das novas gerações.


Aí é que entra o papel de um blog bem planejado, alinhado com seus objetivos principais e capaz de fortalecer uma marca, seja ela qual for. De fato, tais tipos de publicações podem abranger todo e qualquer segmento ou nicho de mercado.


É possível fazer um blog sobre política e análise de conjuntura, como aliás muitos jornalistas fazem, ligados a grande plataformas midiáticas. Como também é possível fazer um blog corporativo, sobre indústrias, fast food, calçados, joias e daí em diante.


A razão pela qual as pessoas de hoje, também conhecidas pelo termo de Gerações Y e Z, demandam esse tipo de conteúdo é bastante clara, e diz respeito ao crescimento do acesso à informação e aos meios de expressão.


Se até algumas décadas atrás a comunicação empresarial era unilateral, pois somente a marca “falava”, por meio da televisão, dos rádios e de comunicações visuais como outdoors e flyers, hoje ela é uma via de mão dupla, e os dois lados se expressam.


Assim, o blog atende a várias demandas ao mesmo tempo. A primeira é o fato de que o cliente pode participar do conteúdo pelo campo de perguntas e respostas (além do recurso das mídias sociais, que podem ser atreladas a ele).


A segunda é o próprio conteúdo em si, que realmente precisa ser gratuito e agregar algum valor para as pessoas, mais ou menos como um modo de a marca mostrar que se preocupa com o público-alvo, e que sabe do que está falando.


No fundo, a empresa está “dando” algo para pessoas que ainda nem sequer se tornaram clientes. Com a convicção de que, ao se tornar referência em sua área, quando o lead estiver pronto para comprar, é na marca que tem mais autoridade que ele pensará.


Então, se você quer compreender melhor como é possível utilizar a produção de um blog para trazer esses efeitos à sua marca, basta seguir adiante na leitura.


Como educar o meu público-alvo?

O primeiro passo na hora de falar sobre o blog é citar o seu poder de educar o público-alvo sobre uma solução que, às vezes, as pessoas nem sequer sabiam que existia ou que poderia resolver o problema delas de maneira eficiente.


Imagine, por exemplo, que você trabalha com limpeza de pele profunda com extração, como aquelas que utilizam o famoso “vapor de ozônio”. Certamente, muitas pessoas não compreendem o funcionamento dessa modalidade.


Pode ser que algumas nem mesmo soubessem da importância de fazer limpeza de pele. Antes, a empresa que quisesse educar o seu público sobre essa solução teria de investir valores incríveis para conseguir impactar o público e explicar qual é sua missão.


Hoje, com um blog, basta começar a escrever artigos e dar a eles um formato explicativo, atraente e de fácil leitura. Quem garante essa estratégia é o funil de vendas, que consiste em conduzir as pessoas pela jornada da compra.


Tradicionalmente as etapas do funil de vendas são:

  • Geração de conteúdo;

  • Geração de leads;

  • Qualificação dos leads;

  • Geração de prospects;

  • Fechamentos e vendas;

  • Pós-venda e fidelização.

Assim, não é difícil ver a relação intrínseca entre os artigos de um blog e a atividade comercial da empresa. Se ela trabalha com aula prática de direção, cada leitor ou visitante pode se tornar um lead, depois um prospect e, enfim, um cliente fidelizado.


Note que tudo começou pelo blog, que educa a clientela, demonstrando de maneira detalhada como a solução trazida pode facilitar sua vida em algum ponto, resolvendo uma dor que todo mundo tem, ao menos dentro daquele nicho de mercado.


Aumentando a autoridade da marca

Do que foi dito acima, já é possível compreender como o blog, para além de educar o público e despertar nele uma demanda por sua solução, tem um potencial de fortalecer a marca, na mesma medida em que ela soluciona os problemas do público.


Se tem algo fundamental no marketing de conteúdo é, justamente, a marca se tornar uma autoridade no seu assunto. Assim, se você lida com aula de canto iniciante, precisa provar, em cada postagem, que sabe exatamente do que está falando.


Como vimos, hoje o cliente tem um acesso incrível às informações e aos meios de expressão, portanto, ele é um juiz de tudo o que a marca faz. Esqueça a época em que as pessoas ficavam penduradas no telefone tentando resolver um problema.


Atualmente, se o visitante do blog percebe que há um risco na compra, ou se ele nota que a empresa não sabe do que exatamente está querendo tratar, ele nem sequer avança nas etapas de se tornar lead, prospect e assim em diante.


O que as pessoas pensam é muito simples e perfeitamente compreensível. Imagine que você escreve um artigo excelente sobre o seu segmento, tirando as principais dúvidas do setor, e não cobra nada pela leitura dele.


Por exemplo, “10 maneiras de fazer uma lembrancinha maternidade menino incrível”. Os leitores pensarão, com certeza, que se o que você “disponibiliza de graça” é tão bom, imagine qual não deve ser a qualidade do produto/serviço pago.


Ou seja, hoje seu cliente simplesmente quer uma participação no seu universo, ele quer se sentir parte daquela solução antes mesmo de consumir. As pessoas são ávidas por informação, interação e todo tipo de conhecimento, o que só a internet pode dar.


Como gerar oportunidades efetivas?

Se já falamos sobre o visitante ter o poder de decisão sobre tornar-se ou não um lead, e até mencionamos o funil de vendas, como afinal conseguir aumentar a geração de leads e de oportunidade reais por meio das produções do blog?


As respostas estão na própria formulação da pergunta: por meio do funil e da produção de conteúdo. Se você presta serviço de adesivação de carros, não pode perder o horizonte, afinal, embora deva dar conteúdos gratuitos, seu foco é vender e lucrar mais, certo?


O blog não é uma atividade filantrópica, então mantenha sempre o foco nas etapas do funil. No meio dele vão entrar outras estratégias, como o e-mail marketing, pois você já terá os dados do lead; e no fundo, o próprio comercial, talvez com ligações telefônicas.


Mas é no topo do funil que o blog se encontra, então os artigos precisam ter títulos chamativos, como os mencionados acima. Além de trabalhar elementos como os CTAs (Call to Actions), que são “Chamados para Ação” com alto poder de conversão.


Outra dica são os e-books, infográficos e demais arquivos de download. Ao prometer um material mais robusto sobre as atividades de uma escola particular integral, que vá além do artigo, você pode pedir o e-mail do visitante para enviar-lhe o material.


A verdade é que se o conteúdo é bom, sua autoridade aumenta, como já vimos, e os resultados veem. Ainda assim, mantenha-se em dia com as estratégias mais ousadas para gerar o máximo possível de leads, cumprindo com o objetivo como um todo.


Bônus: distribuindo seu conteúdo

Todo mundo que começa a gerar conteúdo logo percebe a diferença entre produção, que consiste em criar artigos, e-books ou qualquer outro material, e distribuição, que é o esforço de fazer aquilo chegar à pessoa certa na hora certa.


Para isso ninguém melhor do que os motores de busca, como Google, Bing e Yahoo. Quando uma pessoa pesquisa algo como “tapete atividade infantil”, só os blogs e sites que seguem boas práticas de otimização aparecem nas primeiras páginas.


Portanto, é preciso seguir os algoritmos dessas plataformas, fazendo o famoso SEO (Search Engine Optimization). Outro modo de conseguir destaque no topo, é pagando pelo Google Ads, que posiciona seus patrocínios dentro de poucas horas após o anúncio.


Neste caso, ao pagar para posicionar algo como serviço de motoboy, a empresa já pode começar a ter leitores, visitantes e até cotações no mesmo dia. Lembrando que mesmo pagando para aparecer, a qualidade do conteúdo continua indispensável.


Outra dica de ouro é utilizar as redes sociais para impulsionar o blog, postando links para ele diariamente, de modo a impactar muito mais gente.


Com isso, vemos como o blog pode ser utilizado a favor de qualquer marca, fortalecendo sua presença na internet e gerando oportunidades de curto, médio e longo prazo.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
Quem vai e quem fica - Marca.png
amazon prime
Júlia Orige
Blogueira de viagem
Oi gente, eu sou a Júlia e o Quem vai e quem fica é o espaço onde eu organizo todos os meus conteúdos de viagem. Pra te guiar pelas suas próximas aventuras.
Aqui eu ofereço os meus erros e os meus acertos para que você possa viajar melhor e mais fácil
Me acompanhe diariamente no Instagram
Para falar sobre parcerias e publis mande um email para juliaorige@gmail.com
  • Instagram
  • TikTok
  • YouTube
  • Pinterest
pacote-sao-luis-lencois-maranhenses-segu

Dicas de viagem em destaque:

Reserve sua viagem aqui:

Organize a sua viagem:

Vídeos de viagem no YouTube:

kindle unlimited