• Guia de Investimento

Digital influencer: confira as principais funções deste trabalho


funções do digital influencer
Foto Freepik

Já não é novidade para ninguém como as redes sociais vieram para mudar a nossa rotina, transformando a experiência dos internautas. O que pouca gente sabe é qual o papel do digital influencer nesse novo universo de possibilidades.


Também conhecido como influenciador digital, o que o influencer faz é se tornar uma celebridade no mundo digital, por meio de sua personalidade mais carismática e mais marcante do que as demais, com a proposta de gerar conteúdo.


Inclusive, isso já se tornou uma profissão, não raro sendo uma das mais interessantes e mais rentáveis da atualidade. Hoje os assuntos e conteúdos de um influencer podem ir desde política até vinho italiano branco.


De fato, o assunto pouco importa, pois se tratam de pessoas que conseguem se comunicar de modo disruptivo e criar uma conexão enorme com o seu público. Ao mesmo tempo, é preciso saber identificar esse público e o nicho de atuação.


Certamente, um influencer que arrasa na hora de falar de vinhos poderia não se sair bem se o assunto fosse política. Ao mesmo tempo, tirar um influenciador digital do nicho do esporte para o de vídeos cômicos também poderia não ser boa ideia.


Então, por mais que se trate de pessoas carismáticas e envolventes, é preciso entender que por trás sempre haverá uma estratégia de marketing, um estudo de mercado e um esforço por compreender até onde se pode ir para uma carreira de sucesso.


Às vezes, o influencer começa do absoluto zero e só aos poucos vai identificando uma grande oportunidade, com isso profissionalizando o seu trabalho, a qualidade dos vídeos, do áudio, as pautas e daí em diante.


Em outros casos, é possível primeiro estudar o mercado e saber segmentá-lo. Por exemplo, o setor de gastronomia pode ser uma oportunidade, mas focar na linha de doces e bolos, como bolo de cenoura com chocolate, pode ser mais assertivo.


No fundo, alguns elementos indispensáveis são a criatividade, a autoconfiança e a capacidade de persuasão comunicativa, todos eles trabalhando junto para ajudar a reforçar a imagem do profissional e levá-lo cada vez mais longe.


Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo alguns conceitos básicos que dão a sustentação para a profissão de digital influencer, além de dicas práticas que podem ajudar qualquer um a melhorar ou iniciar sua atuação nessa área.


O mais bacana é que hoje o mercado da influência digital cresceu tanto que realmente já é possível criar uma conexão com o público de qualquer área, seja para falar sobre moda e maquiagem ou sobre conserto de celular e tecnologia em geral.


Então, se você quer entender melhor quais são as principais funções do digital influencer e como isso pode ajudar alguém que queira atuar na área, basta seguir adiante.


Novas gerações e perfil do influencer

Acima falamos sobre algumas das virtudes que um influencer precisa ter, entre elas autoconfiança, persuasão e, claro, a criatividade.


De fato, essa é uma boa descrição dos profissionais de maior sucesso desse segmento, mesmo levando em conta as inúmeras diferenças de proposta que possa haver entre eles.


Ademais, a autoconfiança e a persuasão parecem ser algo que já vem com a pessoa (embora também possam ser desenvolvidas), e a criatividade pode parecer um ponto extremamente desafiador, mas o próprio nicho já ajuda.


Por exemplo, se uma influenciadora digital decide falar sobre beleza, indo desde maquiagem até peruca cabelo natural, as próprias novidades do segmento já podem servir como apoio para criar pautas novas com uma frequência bem melhor.


Com isso, podemos dizer que uma das principais funções deste trabalho é, certamente, fazer um papel que é mais ou menos o do jornalismo. Só que é um jornalismo diferente, nichado, personalizado e voltado para as novas gerações.


São as famosas Gerações Y e Z, das pessoas nascidas em meados de 1980 e dos anos 2000 para cá, respectivamente, que buscam novas formas de consumir notícias e novidades.


O ponto importante aqui é que se trata de pessoas com acesso muito maior à informação, e que já nascem com computador e celular nas mãos.


Realmente, por mais brincalhão e descolado que um influencer possa ser, ele precisa trazer novidades para o seu público, estando sempre muito bem informado sobre o que acontece no seu nicho de atuação, pois daí é que virá o poder de monetização.


Como se ganha dinheiro nessa área?

Falando em monetização, tudo o que dissemos até aqui já seria interessante em si mesmo (já que algumas pessoas simplesmente amam poder escrever e falar sobre aquilo de que gostam), mas fica ainda melhor quando lembramos que se trata de uma profissão.


Lá no começo dos anos 2000, os blogs estavam surgindo e muita gente escrevia apenas por escrever. Na sequência, as redes sociais tornaram essa dinâmica ainda maior e logo depois vieram as plataformas que priorizam vídeos e multimídias.


Não demorou até que tudo isso se tornasse uma profissão, como é a do blogueiro, lembrando que o influencer nada mais é do que um vlogueiro. A base dessa transformação é o poder de influenciar as pessoas a comprarem produtos ou contratar serviços.


Afinal, se o influencer se tornar uma autoridade na área de casa e construção, ele pode facilmente indicar um bom serviço de fechamento de sacadas com vidro retratil. É justamente aí que começa a ficar clara a monetização desse trabalho.


No fundo, há várias maneiras de tornar a profissão de influencer rentável e lucrativa, sendo as principais as seguintes:

  • Comissão por vendas;

  • Fazendo parcerias;

  • Monetização de tráfego;

  • Venda de infoprodutos.

Neste último caso (de infoprodutos), o interessante é que o influenciador atua mais ou menos como um empreendedor ou empresário autônomo. Ele foca toda sua produção e o aumento de sua audiência em abrir o carrinho de vendas de tempos em tempos.


Ele pode ser, por exemplo, um coaching focado em desenvolvimento humano individual. Assim ele passa todos os dias e semanas gerando conteúdos com esse enfoque. Depois, trimestralmente pode vender um curso de imersão nessa área.


Aqui, a função do influencer nada mais é do que manter seu público engajado e fortalecer a sua marca, que é ele próprio, na linha do que se convencionou chamar de branding personal.


Sobre parceria e comissão por venda

No caso de comissão por venda e parcerias, o influenciador digital atua mais ou menos como uma antiga celebridade da televisão costumava fazer, cobrando para associar sua imagem a um produto ou serviço, geralmente com comerciais televisivos.


Nesse caso, sua principal função é atestar a eficiência daquela solução, por isso, os mais idôneos acabam trabalhando apenas com produtos que testaram e realmente aprovaram, até porque sua imagem também acaba comprometida no médio e longo prazo.


Por exemplo, se a pessoa vai divulgar algo como adesivacao de veiculos de propaganda, ela pode antes fazer um teste ou indicar uma pessoa de confiança para que faça o teste sobre como é a qualidade daquela empresa, do serviço, do atendimento, etc.


No caso da comissão por venda, isso tudo fica ainda mais claro, pois aí o influencer digital trabalha ativamente a parceria, acompanhando (por meio de relatórios e pareceres) o avançar das campanhas e ações, bem como das vendas.