Buscar
  • Guia de Investimento

Mochilão: 7 dicas para se aventurar



Muitas pessoas têm optado pelo mochilão como um estilo de viagem para se libertar e conhecer novos lugares. Esse modelo é muito usado no mundo inteiro e pessoas de todas as idades podem aproveitar.

Viajar é sempre um momento de alegria. Por isso, compre um calendário com espaço para escrever e comece a se planejar para conseguir fazer um passeio único.


O conceito do mochilão é colocar uma mochila nas costas e se aventurar por conta própria, gastando apenas o essencial e o mínimo possível.


É uma alternativa a modelos mais tradicionais de viagens, normalmente engessados por pacotes de agências de viagens com passeios programados e padronizados.


Esse estilo de viagem é ideal para conhecer profundamente um lugar, uma vez que você acaba conhecendo:

  • Moradores locais;

  • Culturas diferentes;

  • Paisagens únicas;

  • Culinária exótica.

Fazer um mochilão, então, nada mais é do que transformar seu modo de fazer uma viagem. Ao se preocupar menos com o fator turístico e mais com abraçar o ambiente em que você está entrando, você acaba explorando de uma forma completamente nova um local.


Podemos separar as categorias dizendo que o turista é aquela pessoa que está buscando relaxamento, conforto e passar um tempo com familiares e amigos, longe dos problemas do dia a dia.


Você pode procurar por flyer digital de eventos e lugares de onde está planejando ir, para ter uma base de preços e de locais interessantes para visitar quando estiver lá.


Já o mochileiro é aquele que tem o desejo de conhecer o mundo, se desafiando em uma jornada de autoconhecimento. Ambos os caminhos são possíveis e tem suas vantagens, então é importante identificar com qual destes modelos você se identifica mais.


Para aqueles que querem se aventurar no mundo do mochileiro, é importante tomar cuidado com alguns elementos para conseguir aproveitar o máximo da experiência e evitar qualquer obstáculo no meio de sua jornada. Acompanhe algumas dicas a seguir.


1. O planejamento ainda é necessário

Apesar de ser um estilo de viagem muito mais livre, que elimina a necessidade de um planejamento minucioso, ainda é importante separar alguns fundamentos de sua jornada para não acabar transformando-a em uma experiência negativa.


O primeiro ponto é definir o roteiro. Existem diversos lugares interessantes para se conhecer mesmo dentro do Brasil, e alguns destinos no exterior são bem atrativos para mochileiros.


Se você quiser fazer um mochilão de bicicleta, por exemplo, as peças de bicicleta bmx sobressalentes para garantir sua segurança devem entrar no planejamento.


Países europeus, que estão acostumados com essa cultura, acabam sendo mais receptivos para quem quer a experiência completa de pegar carona e experimentar viver “sem rumo” por um tempo, por exemplo.


Ainda assim, mantenha suas finanças sempre em dia para conseguir se proteger de qualquer eventualidade, principalmente em casos de ter que voltar mais cedo ou se hospedar em um hotel que seja um pouco mais caro.


O planejamento financeiro é fundamental aqui. Mochilões tendem a ser um estilo de viagem muito mais barato do que outros mais tradicionais, mas isso não quer dizer que você não deve se precaver e estar pronto para qualquer tipo de problema que possa ocorrer.


Mesmo em caso de mochilões, alguns elementos são fundamentais, como o seguro viagem e cálculo de gastos com alimentação, eventuais passeios e hospedagens.


Nem todos podem se dar ao luxo de ter a experiência completa de um mochilão, ficando vários meses conhecendo lugares.


Por isso, muitos brasileiros optam por uma experiência mais curta, de mochilões que tem uma data limite de 15 a 90 dias, dependendo de quanto você conseguir tirar para fazer esse roteiro.


Portanto, a organização é essencial. Você pode traçar toda uma rota para descobrir qual território conseguirá conhecer durante esse período mais limitado, além de se prevenir e comprar as passagens de ida e volta aos locais marcados.


Assim, você terá muito mais segurança na hora de iniciar seu mochilão, não tendo que se preocupar com pormenores da viagem.


2. Leve pouca bagagem

Um ponto também importante em um mochilão é que você tenha liberdade de locomoção, portanto, leve apenas o mais essencial, que permita sua mobilidade e até mesmo a utilização de carona como meio de transporte.


Malas de viagem podem se tornar um problema no caminho, pelo peso e desconforto de carregá-las. Por isso, opte por malas de mão, mala estilo vintage ou mochilas que possam levar todo o conteúdo que você necessita.


Para documentos e dinheiro, o ideal é utilizar uma doleira. A doleira nada mais é do que uma pochete fina, facilmente ocultável por baixo de suas roupas.


O dinheiro ficará armazenado junto de seu passaporte e qualquer outro documento importante, garantindo mais segurança para você. Se você pretende se aventurar em acampar durante o período do mochilão, esse tipo de item de segurança é fundamental.


3. Conforto ou praticidade?

O conforto não pode ser considerado uma prioridade quando você opta por fazer um mochilão. A ideia aqui é gastar o mínimo possível, então luxos como aluguel de carros e táxis é algo que não deve entrar em seu orçamento.


Caso precise carregar algo além do conteúdo em sua mochila, o ideal é levar uma sacola ecologica personalizada para garantir o conforto ao carregar todos os itens.


Além disso, busque passagens aéreas promocionais e mais econômicas, mesmo com escalas. A experiência do mochilão permite que você explore até mesmo esses pequenos detalhes ao longo de todo o período de viagem.


Sempre que precisar, opte pelo transporte público para se locomover, uma vez que é uma forma mais barata de cruzar distâncias maiores e permite que você viva um pouco como os locais de onde está visitando.


Entretanto, existem alguns itens de conforto que são indispensáveis para uma viagem desse tipo. Não economize em roupas confortáveis e, principalmente, calçados.


Você passará boa parte de seu dia andando, por isso, comprar um bom tênis antes de viajar é fundamental.


Em resumo, o conforto deve ser levado em conta para você ter uma experiência melhor, mas o ideal durante todo o mochilão é pensar de forma prática.


4. Que tipo de hospedagem escolher?

Esqueça hotéis luxuosos! A ideia do mochilão é aproveitar o máximo possível do local e usar o quarto de um hotel exclusivamente para dormir. Por isso, opte por albergues e hostels que têm um custo muito mais barato.


Alguns hostels possuem ainda a opção de comprar marmita congelada para semana, permitindo que você não precise se preocupar com a questão de alimentação.


É importante tomar alguns cuidados sempre, uma vez que os quartos de hostels costumam ser compartilhados. Mas, normalmente, é uma oportunidade de conhecer outros mochileiros e criar vínculos reais de amizade.


Além disso, alguns hostels têm a possibilidade de você pagar a estadia com algumas horas de trabalho. Esse tipo de atividade acaba sendo uma experiência completamente nova, se você tiver tempo para aproveitar durante a viagem.


Mochileiros que costumam fazer viagens com roteiros mais longos se programam para fazer esse tipo de atividade e ter uma experiência verdadeiramente enriquecedora como um local.


5. Não se esqueça da alimentação

Procure encontrar restaurantes mais baratos, e se houver a possibilidade de usar a cozinha em seu hostel, opte por fazer compras em supermercados. Existem diversas possibilidades mais em conta para se alimentar.


Um vinho frutado branco tradicional pode valer mais a pena pela experiência do que uma refeição em um restaurante de fast food, que é igual em qualquer lugar do mundo.


Uma vez que o objetivo do mochilão é conhecer lugares e pessoas, guarde o dinheiro de restaurantes para aqueles estabelecimentos que realmente oferecem uma experiência única, como locais tradicionais.

Para o caminho, procure sempre frutas e legumes que costumam ser baratos e não precisam de tempo de preparo, garantindo seu sustento entre um local e outro.


6. Pesquise rotas alternativas

Viajar com a liberdade de um mochileiro permite que você explore rotas pouco convencionais. Aproveite para sair dos roteiros turísticos padrões, com cidades chave.


Em muitos lugares, existem cidades pequenas e vilas aguardando para serem descobertas, com experiências incríveis nelas.


Isso não quer dizer que você não deve visitar pontos turísticos tradicionais, principalmente se for sua primeira vez no local. Mas opte pela experiência diferenciada, uma vez que todo o planejamento está sendo para esse tipo de realização.


7. Esteja precavido

Um mochileiro vive pela aventura, e não deve ter medo de viajar sozinho ou de experimentar novas coisas. Entretanto, é preciso cautela para não acabar tendo uma experiência negativa.


Um bom ponto é procurar locais onde você conheça o idioma local. Para incentivar gerações futuras a procurar esse tipo de viagem, matricular os pequenos em uma escola bilíngue infantil é uma excelente opção


Além do mais, mantenha sempre seus documentos e dinheiro em locais seguros, e não de bobeira em locais movimentados, principalmente se estiver sozinho.


Procure conhecer os locais de segurança de uma cidade que você está chegando. Também conheça onde ficam hospitais e postos de polícia podem ser fundamentais para garantir sua tranquilidade na viagem.


Considerações finais

O mochilão é uma experiência única, que qualquer pessoa com espírito aventureiro deveria se permitir pelo menos uma vez. Os cuidados são pontuais, e a experiência pode fazer toda a diferença em sua vida.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


0 comentário

Me ajuda a te ajudar?

Adquirindo serviços ou produtos nos links aqui do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga absolutamente nada a mais por isso

Compre em empresas confiáveis e ajude o blog a crescer

Reserve sua viagem aqui:

Navegue pelo Quem vai e quem fica:
Páginas principais:
  • Instagram
  • YouTube
  • Pinterest
Assine a nossa newsletter