• Júlia Orige

The kooks e Kasabian em Porto Alegre.


Vamos começar pelo início de tudo.

Abri o meu computador e vi: The Kooks e Kasabian tocarão em Porto Alegre dia 26 de março. Quinta-feira. Pleno dia de aula. Ir ou não ir? Comprei!

E agora?

Quais são as possibilidades de uma estudante sem dinheiro, sem tempo e cheia de provas na faculdade ir em um show em plena, QUINTA-FEIRA. Se essa estudante for eu, cem por cento.

Você precisa de 3 elementos para economizar e convencer seus pais para tamanha inconsequência (Prepare-se eles vão dizer isso).

1° - Tempo.

Se programe no mínimo um mês antes. Se vocês forem de avião, como no meu caso, a dica é comprar passagem de madrugada. Nessas horas os preços das passagens geralmente diminuem ou acontecem aquelas promoções sensacionais. Eu paguei 204 reais ida e volta de Florianópolis para Porto Alegre. Se fosse de ônibus pagaria 200 reais, então acabou compensando, além da velocidade e conforto. Ah sem esquecer, precisei de alguns meses de economia de mesada, tudo por minha conta. Tempo foi essencial.

Segunda dica: Comprem o ingresso assim que lançar. Se quiser pista vip então, voem com a tecla amigos.

2° - Organização.

Imaginem que a pessoa que aqui escreve, é um ser humano completamente atrapalhado. Não sei nem organizar meu quarto, imagina uma viagem. Fiz a velha e clássica surfing na web. Usei a tecnologia e a agendinha para coordenar meus passos. Além de usar a mãe Google Map. Porém, entretanto, todavia, eu peguei o mapa de Porto Alegre no aeroporto, e o de transporte também. E pedi ajuda para os universitários. Os tios amados do sistema de ajuda realmente contribuíram para o meu não desaparecimento naquela cidade. Que é grande, não se engane, se perder lá é tão fácil quanto comer uma caixa de ferrero rocher.

3° - Cara de pau.

Faltar a aula em dia de prova e fingir uma virose. Dizer para os pais que a banda vai se desintegrar após o show, sim eu falei “desintegrar”. Vale tudo, até comprar presente de pascoa para a tia-avó para mostrar bom caráter. Seja criativo.

Agora chega de enrolar, aí vai o passo a passo do meu rolê de 1 dia em Porto Alegre.


Comprei passagem para as 06:25 da manhã para Porto Alegre. Levantei as cinco da manhã, encontrei meus amigos no ponto de ônibus, mas na última hora resolvemos ir de taxi. Que erro gravíssimo, se você estiver em Florianópolis não pegue taxi. O taxi aqui é exorbitante, andar de ônibus em Floripa é muito tranquilo. O preço da passagem é 3 reais, enquanto de taxi, paguei a bagatela de 60 reais. Absurdo.

Enfim, meu voo atrasou e acabamos chegando as 09 da manhã. Pegamos os mapas no aeroporto, depois fomos para o bairro da Redenção de ônibus, pegamos o T5 até a parada mais próxima do nosso hostel. E ai vai o segredo da economia, pagamos apenas 35 reais pela nossa cama. O Hostel era fantástico, limpo, organizado e cheio de dicas ótimas. Na recepção havia folhetos em três línguas sobre locais legais e perto do hostel para visitar, a grande maioria dava de ir a pé. Ficamos hospedados no Eco Hostel de Porto Alegre, é um prédio verde não muito grande, mas cheio de amor para distribuir. O bacana de ficar em um hostel e a variedade de pessoas lá hospeda, no dia em que ficamos tinham pessoas da Itália, Equador e Canadá.

Se você curte privacidade, devo admitir que o local não é o mais indicado, afinal você divide o quarto com mais 5 pessoas. Neste caso, eu também já fiquei em um hotel na mesma região e o local era muito bom, foi o Hotel Gonçalves (sendo que eu fiquei no flat, não sei como são os mais econômicos). Eu paguei na época 150 reais, quarto com cama de casal e outro móvel, por essa faixa.

Continuando ...

No Hostel, tivemos que deixar as bagagens em um armário com cadeado, ele custava 10 reais e o cadeado você tem que trazer de casa. Caso não tenha na hora, tem um mercado na frente onde você pode encontrar.

Deixamos as malas e fomos aos passeios. O show começava só as 21 hrs da noite, e eram 11 e meia da manhã. Resolvemos dar uma circulada pela redondeza. A todos os lugares a partir deste momento fomos a pé, isso requer disposição e um pouco de paciência.

Passeamos ao redor da praça Farroupilha, que é muito bonito e realmente interessante de visitar tem mais de 38 monumentos e um ipê rosa gigantesco lindo. Após isso andamos até o shopping central, que não é lá muito bom mas tem um cachorro quente divino na praça de alimentação - Cachorro-Quente do Rosário – além do preço ser okay.


Depois de descansar um pouco, andamos até a rodoviária onde minha amiga comprou a passagem dela de volta para casa, em Caxias do sul. Se você não tiver que comprar passagem, nem vá a rodoviária. Ô lugar feio, a única parte de boa foi um senhor tocando piano no meio das lojas de conveniência. Tocava bem.

Andamos novamente, e dessa fez foi aquela andada boa. Utilizamos nossa mãe amada Google Maps e fomos até o centro. Se não curte lugar sujo, nem pise naquela região, o bairro da redenção é tão limpo e iluminado que quando você chega no centro parece que uma nuvem negra engoliu sua atmosfera.


Por que ir no centro? Uma palavra: Museus. Tem dois realmente fascinantes. O primeiro que visitamos foi o Santander Cultural, que tem uma arquitetura bancária do início do século 20. Tem os cofres antigos para bater foto e tudo mais. Lá também existe uma sala de cinema com filmes nacionais, um café, exposições e as famosas lojinhas. Que não são baratas, por isso, só olhamos mesmo. O próximo museu também é logo em frente desse, o Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagol, ou o famoso MARGS. Eles ficam na Praça da Alfândega, no Centro Histórico da cidade. No MARGS, o material de acervo é muito completo, tem obras de vários estilos. É nesse templo da arte que fica um dos quadros que eu mais admiro que é o Quasi contacto do Milton Kurtz. A sobreposição de cores e efeitos nesse quadro chama muito a atenção.




Após esse devaneio de obras artísticas, eu saí de lá mais inspirada para o show. Se você tiver fome, tem um subway ali pertinho do museu, afinal subway tem em todo lugar. Andamos incansavelmente até nosso hostel, lá nos trocamos e nos preparamos de volta para o show. Se você preferir, existem ônibus que passam por lá direto e que levam do centro até nossa parada na redenção, andar a pé é opcional.

Na parada de ônibus, pegamos o T5 novamente, e fomos até o Pepsi on Stage, que fica exatamente na frente do aeroporto. Chegando lá, as 19 hrs, aquela fila monstruosa. Mas um show inesquecível. Que vai ser lembrado para resto da vida. A crítica do show deixamos para outro momento.

Na saída do show não teve jeito pegamos um taxi até o hostel e pagamos 40 e poucos reais. Como estávamos em 3 deu uns 16 reais para cada. Dormimos, pegamos novamente o mesmo ônibus para o aeroporto, e casa lá estamos nós.

Curiosidades: Os ônibus funcionam a partir das 6 horas da manhã. Se tiver que viajar antes, e caso só tenha cartão use o easy taxi opção que aceita pagamento no cartão. Só assim você vai encontrar um taxista que aceite.



Na região da redenção existe uma infinidade de bares e restaurantes muito legais para visitar. Passamos por uns muito diferentes, como um estranhamente chamado Dirty Old Man Cocktail Pub e um mais comum, o bar Exportação. Todos ficam pertinho do hostel.

Ai está minha viagem de um dia em Porto Alegre.

Sabe como economizar mais ainda? Me passa a dica! Estou à procura de shows bacanas para ir, conhece algum? Só falar. Escreverei mais sobre minhas experiências aqui, espero que ajude um pouco.

Boa aventura folks!

Ingresso: 95 + Correios = 120,00

Avião: 204,00

Ônibus: 3,50x4 = 14,00

Táxi: 16,00

Hostel: 35 + 10 (mala) = 45,00

Soma total: 405,00 sem a alimentação, calculando tudo o que gastei deu em torno de 490 reais.

Escrito por Lara Bet Meneghel – Especialista em viagens rápidas.

Fotos:







Navegue pelo Quem vai e quem fica:
Receba dicas de viagem por email:
  • Instagram
  • YouTube
  • Pinterest
Páginas principais:
Atalhos: