• Júlia Orige

Por que viajar ao Leste Europeu



Todo mundo ama viajar, né? Tá bem, a maioria das pessoas ama viajar, não todo mundo. Mas, como escolher acertadamente o destino da viagem? Tem de ser algo que combine com você, que caiba no orçamento e que vá acrescentar em algo, seja em beleza, em conhecimento ou em cultura. Todos os países e lugares tem seu charme, não há um que se desperdice, mas há que se escolher o próximo roteiro, e não dá para incluir o mundo todo.

O Leste Europeu não é o destino mais popular para nós brasileiros. Até porque fica meio fora de mão se comparado com viagens ao centro europeu ou aos EUA. Mas é um destino incrível, que merece uma viagem só para ele, sem atropelar com Londres e Paris. Nós não conhecemos muita coisa do Leste Europeu, não é algo muito próximo, mesmo culturalmente. Pouco sabemos da história da República Tcheca, exceto que uma vez foi Tchecoslováquia. Há uma santa Ludmilla, em Praga, você sabia? E um rei que se chamou Sigsmund. Talvez daí venham alguns dos nossos nomes.

No Leste Europeu há castelos medievais, paisagens incríveis, bibliotecas fabulosas em mosteiros, uma comida muito boa e é bem calor no verão. Veja por que viajar ao Leste Europeu:

É uma viagem econômica

A maioria dos países do Leste Europeu não fazem parte da zona do euro. O que para nós acaba sendo bom, isso é, se você não cair nas pegadinhas das casas de câmbio. (Aqui tem algumas dicas de câmbio no Leste Europeu). Mesmo sem pensar que a moeda é desvalorizada e que o real vale mais, são cidades bem baratas. Até na Eslováquia, que adota o euro como moeda, é possível comer e se hospedar por preços que não se encontra nem no Brasil. Mesmo convertendo e pagando IOF.

Em Budapeste, por exemplo, é possível comer uma refeição completa, num restaurante bom, por menos de 5 euros. A hospedagem também fica mais barata, o que possibilita uma estadia mais longa.

Há muito sol e calor no verão

Viajar para lugares frios pode ser um charme, mas também significa que você vai precisar de casacos, guarda-chuvas e muita disposição. Os dias chuvosos de Londres fazem com que a viagem seja mais cansativa, você se molha o tempo todo e as fotos são cinzas. Vale a pena? Claro. Mas se você procura castelos e verão, ao mesmo tempo, não é em Londres que você irá encontrar.

O Leste Europeu pode ser bem quente e ensolarado. E também pode ser visto coberto de neve. Você escolhe. No verão os dias são longos, amanhece por volta das 5 da manhã e anoitece as 9 da noite. Dá para fazer boas maratonas e ainda beber cerveja à luz do sol as 8 da noite. Aliás,

A bebida e a comida são imperdíveis

O Leste Europeu é a terra da cerveja. O chopp é tradição milenar, produzido antigamente pelos monges nos monastérios. Tá certo que não é o chopp mais gelado do mundo, mas vale a pena provar. A comida tradicional do Leste Europeu é bem pesada, envolve altas doses de carboidrato e carne. São carnes de panela, pães, batatas e sopas. Tudo muito temperado. Vale a pena provar. E repetir.

O Leste Europeu tem tudo o que se pode esperar da Europa: histórias de cavaleiros, bruxas queimadas, vestidos medievais, catedrais, castelos, cerveja boa e uma vista incrível. Tudo por um preço bem justo.

Foto: Rio Moldava em Praga

#europa

Navegue pelo Quem vai e quem fica:
Receba dicas de viagem por email:
  • Instagram
  • YouTube
  • Pinterest
Páginas principais:
Atalhos: