top of page
Quem vai e quem fica - Marca.png

Quer receber promoções de viagem?

Entre no meu canal de transmissão no Instagram! Sempre que eu acho algo que está valendo a pena de verdade eu mando o link por lá. São promoções de viagem selecionadas por uma curadoria humana. 

URUGUAI e BUENOS AIRES: roteiro de carro completo (com preços)

Atualizado: 2 de mai. de 2023


roteiro de carro uruguai e buenos aires
Salve no Pinterest para não perder

Em setembro de 2022 eu fiz uma viagem de carro pelo litoral do Uruguai e Buenos Aires. Saí de Florianópolis e conheci Punta del Diablo, Punta del Este, Piriápolis, Montevidéo, Colônia del Sacramento e Buenos Aires. Foram 16 dias de viagem, com folga, porque eu viajo e trabalho ao mesmo tempo, então tem que ser uma viagem mais lenta.


Nesse post vou te contar exatamente como foi o meu roteiro de carro e tudo o que você precisa saber antes de fazer o seu também! Pode seguir exatamente o mesmo roteiro que eu ou usar de base para montar a sua viagem.


Para navegar pelo post mais fácil:

Meu roteiro geral

Gravei um vídeo pro Tiktok explicando meu roteiro em linhas gerais, veja o vídeo:

Documentos para viajar de carro pelo Uruguai e Argentina

  • RG ou Passaporte

  • Comprovante de vacinação de COVID-19

  • Seguro de viagem que cubra COVID-19 (pode ser o mais barato, eu peguei no Seguros Promo)

  • Seguro Carta Verde (dá pra fazer online tranquilo)

  • Documento do carro no seu nome (ou com autorização assinada em cartório do dono do carro)

 

#DicasdeViagem: Seguro de viagem é obrigatório para entrar no Uruguai. Compre o seu com 10% de desconto usando o cupom QUEMVAIEQUEMFICA e pagando no Pix ou boleto

 

Como são as estradas no Uruguai e na Argentina

O Uruguai eu achei extremamente tranquilo dirigir, as estradas estão super bem conservadas. Vi algumas obras na rodovia perto da fronteira do Chuí, mas isso não atrapalhou muito o trânsito. Não peguei fila em lugar algum.


É tudo muito bem sinalizado também, nem tem como se perder mesmo sem internet.


Já na Argentina o trecho que eu peguei de Gualeguaychú até Buenos Aires tinham estradas bem ruins. Danificadas por peso excessivo, com vários buracos. Nada impossível de lidar, mas bem diferente do Uruguai.


Os pedágios são bem mais baratos, pelo menos.


Não fui parada em nenhum momento pela polícia argentina, estava com bastante medo porque tem vários relatos na internet de policiais sendo bem chatos com turistas brasileiros. Mas não fui parada e nem questionada de nada.



Como levar dinheiro pro Uruguai

A melhor forma de levar dinheiro para o Uruguai é com a conta da Nomad, que eu explico passo a passo como funciona aqui nesse post. Use meu código de convidado para abrir a conta, é JULIAORIGE20.


Como levar dinheiro para a Argentina

Já para a Argentina a forma mais barata é enviando dinheiro via Western Union para gastos do dia a dia e via Nomad para pagar hotel. Você enviar dinheiro via Western Union pelo app ou direto numa loja do Brasil. Pelo app pode pagar no Pix, mas ele leva 3 dias úteis para poder ser retirado em uma loja da Western Union na Argentina.


Aqui nesse post eu explico certinho: como está funcionando o câmbio na Argentina em 2023.


Roteiro de carro passo a passo

Eu sai de Floripa e fui até Buenos Aires, para a ida eu dei a volta no Rio da Prata, atravessando a fronteira Uruguai/Argentina em Gualeguaychú. Mas para a volta eu peguei a balsa em Buenos Aires e atravessei o rio até Colônia del Sacramento.


Meu roteiro de carro pelo Uruguai e Buenos Aires no mapa:

1ª parada: Pelotas

Recomendo que você pare em Pelotas para dormir, se for seguir esse roteiro. Depois de Pelotas, até o Chuí, é uma reservam ambiental onde não tem hoteis (e tem poucos postos de gasolina). É um trecho bem bonito, mas que tem que andar devagar. Vários pontos a velocidade máxima é 60km/h, então demora para chegar.


Dica para economizar: encha o tanque em Pelotas e depois complete de novo no Chuí, antes de atravessar a fronteira. A gasolina no Uruguai é o dobro do preço do Brasil. Mas como é pequeno, se você encher o tanque antes de atravessar vai ter que abastecer bem pouco por lá.


Como é a fronteira Brasil/Uruguai no Chuí?

A fronteira terrestre é uma estrutura tipo um pedágio. Para fazer a imigração fomos instruídas a estacionar o carro e entrar na recepção, onde ficam os oficiais de imigração. Eu levei passaporte, mas foi só porque eu queria o carimbo mesmo. Dá para viajar apenas com RG, só esteja atento à data de validade (10 anos). Apenas com CNH você não passa.


Também é necessário ter um seguro de viagem que cubra COVID-19 (info de outubro de 2022), comprovante de vacinação de COVID e seguro Carta Verde, pro carro, além do documento do carro.


Foi bem rapidinho para passar na fronteira, levou menos de 5 minutos. Depois pegamos o carro de volta e atravessamos sem ninguém nos parar para inspecionar o carro. Mas isso pode acontecer.


2ª parada: Punta del Diablo

A segunda parada para dormir foi em Punta del Diablo, que é uma pequena cidade de praia. No verão deve ser muito melhor, mas foi bem agradável de conhecer. Ficamos duas noites em Punta del Diablo, no primeiro dia chegamos de noite já, então nem deu para passear.


No dia seguinte fomos conhecer o Parque Santa Teresa, onde tem a fortaleza, que vale muito a visita e o próprio parque é lindo também. Fomos à Playa de los pescadores, mas apenas para ver a vista, passar frio e jantar num restaurante ali perto.


Eu comprei um chip de celular da Antel, que foi cerca de 10 reais e coloquei uma recarga de 25. Para poder ter 3g no caminho. Comprei num mercadinho que tinha perto da entrada da cidade, nada de especial.


Até Punta del Diablo não tem nenhum pedágio.


Atenção: os pedágios no Uruguai aceitam apenas dinheiro. Não aceitam cartão. Mas podem ser reais ou pesos uruguaios. O primeiro pedágio pagamos em reais, no caminho para Punta del Este, porque ainda não tínhamos sacado pesos do cartão da Nomad.


Eu levei apenas o cartão para a viagem e alguns reais em espécie.


3ª parada: Punta del Este

Em Punta del Este eu saquei dinheiro com o cartão em um caixa da Redbrou, pra poder ficar com alguns pesos para os pedágios.


Ficamos 3 noites em Punta del Este, que para quem está só passeando pode ser muito. A não ser que seja verão e você queira curtir a praia. É uma cidade de verão, com Casinos, praias bonitas e paisagens. Do ladinho fica Punta Ballena, que é onde está aquele famoso casario que lembra Santorini.


Até Punta del Este são dois pedágios, cada um de 160 pesos. Ou 23 reais, aproximadamente (eles convertem com a cotação do dia, caso você pague em reais).


4ª parada: Piriápolis

Piriápolis é outro balneário, muito famoso no Uruguai, mas nem tanto para turistas estrangeiros. É um charme, tem um castelo que era residência de um cara muito rico com ideias grandes. A cidade toda é nomeada em homenagem a ele, Franscisco Píria, que era dono de quase tudo ali.


O rolê é ir ao Castelo de Piria, conhecer a orla de Piriápolis e o Hotel Argentino, que é um casino também. Fizemos uma parada entre Punta del Este e Montevidéu, só passamos uma manhã e começo da tarde. Almoçamos na beira mar e seguimos para Montevidéu.


Aqui eu não tenho muita certeza se são um ou dois pedágios até Montevidéu, mas todos os pedágios no Uruguai são 160 pesos, menos o pedágio que fica na fronteira com a Argentina, que é 430.


5ª parada: Montevidéu

Passamos 3 dias na capital do Uruguai, que me encantou demais. A cidade é um charme, com um centro histórico muito gostoso de passear. Tem muitos restaurantes bons, livrarias, edifícios lindíssimos.


Recomendo fazer o tour pelo Palácio Salvo, que precisa ser comprado via internet com alguns dias de antecedência. E almoçar no Mercado del Puerto, para provar a Parilla Uruguaia, que é o churrasco na grelha.


Também vale a pena visitar uma das vinícolas nos arredores da cidade.



Mais dois pedágios até Colônia.


6ª parada: Colônia del Sacramento

Ficamos duas noites em Colônia del Sacramento, o plano era uma só, mas acabamos ficando mais uma. Valeu super a pena. Acabei ficando para a Marcha de la Diversidad (Parada LGBT), que acontecia coincidentemente no dia seguinte que eu estava lá. Foi muito legal, teve shows, muitas pessoas vieram do país inteiro para participar.


Colônia del Sacramento é uma cidade histórica super linda, pequena, com casarios e ruelas de pedra à beira do Rio da Prata. É um passeio calmo e super enriquecedor.


 

Vai viajar para fora do Brasil? Abra sua conta na Nomad (a forma de câmbio mais barata do mercado hoje) e ganhe até 20 dólares de cashback usando meu código de convidado JULIAORIGE20.

 

Caminho até Buenos Aires

Para seguir viagem até Buenos Aires eu decidi dar a volta no Rio da Prata, em vez de pegar a balsa, porque na ida iria ficar mais barato. É uma viagem longa, que deveria durar cerca de 7hrs, mas acabou durando 12hrs, por causa do trânsito na chegada a Buenos Aires.


Foi bem estressante mas economicamente fez sentido pra mim.


Fomos até Gualeguaychú, onde fica a fronteira terrestre mais perto de Colônia del Sacramento. Até lá teve um pedágio de 160 pesos e logo após atravessar, na terra de ninguém, onde não é nem Uruguai nem Argentina, tem um pedágio de 430 pesos. Que só aceita dinheiro também. O que foi um problema para mim, que não sabia que esse pedágio existia e só tinha 410 pesos.


Mas o senhor do pedágio foi buscar uma maquininha não sei onde e me cobrou no cartão da Nomad, que me salvou.


Como é a fronteira Uruguia/Argentina em Gualeguaychú?

Essa fronteira já achei um pouco mais chata. A primeira parte são cabines onde você para o carro, estilo drive-tru, sem sair e dá os seus documentos. É a saída do Uruguai. Eles perguntam para onde você vai e pedem os documentos.


Depois tem uma inspeção rápida do carro. Que imagino que eles peguem alguns para Cristo ali, tem cachorros disponíveis para cheirar se eles cismarem com o seu carro.


No meu caso só pediram para abrir o porta-malas e mexeram um pouco nas malas. Acho que o objetivo é ver se não estamos levando comida perecível.


Como o trajeto era saindo do Uruguai, creio que a fiscalização seja mais leve, porque o Uruguai é bem mais caro do que a Argentina. Então o que o pessoal que mora por ali faz é ir comprar comida na Argentina e voltar com o carro cheio.


Logo depois da fronteira eu parei num posto de gasolina e tinha um pessoal uruguaio escondendo compras de mercado no carro, embaixo de 400 malas. Se preparando para voltar para o Uruguai.


A segunda parte da fronteira é atravessar a Ponte Internacional, que é linda, aliás, em cima do Rio da Prata e em seguida tem a parte de dar entrada na Argentina. Que no nosso caso não tinha absolutamente ninguém ali. Passamos direto e não demos entrada na Argentina. Mas aparentemente isso não é um grande problema, porque ninguém falou nada na saída e também não é possível que fosse um problema nosso. Várias pessoas passaram ali no mesmo horário e também não encontraram ninguém para atender na imigração.


Para entrar na Argentina é preciso preencher uma declaração jurada no site do governo, onde você avisa quando vai, onde vai se hospedar e se compromete com questões relacionadas à COVID-19.


Acredito que isso já sirva como um documento também.


Também é necessário estar com o seguro de viagem, o seguro Carta Verde, documento do carro e passaporte ou RG. Não paramos na entrada, mas na saída pediram.


Nós seguimos viagem até Buenos Aires. Paramos em Gualeguaychú num Carrefour para comprar algo para comer. Aqui eu ainda paguei com o cartão da Nomad, que funciona em 175 países e foi tranquilo. Porém, a forma mais vantajosa de levar dinheiro pra Argentina hoje é com o câmbio paralelo, via Western Union.


Então eu estava usando o cartão ainda porque enviei pesos para mim mesma via Western Union, mas precisava sacá-los numa loja oficial e era domingo, só tinham lojas abertas em Buenos Aires. O cartão é ótimo para emergências nesse caso da Argentina, mas recomendo que você concentre seus gastos no dinheiro de papel.


Mesmo pagando com o cartão e usando a cotação oficial dos pesos nosso almoço foi bem mais barato do que no Uruguai.


Fomos até Buenos Aires e sacamos o dinheiro que eu enviei em uma Western Union que fica meio fora da cidade, ela fica aberta todos os dias até as 22h, inclusive no domingo. Chegamos já era 21h20, foi quase. Tinha dinheiro certinho, sacamos e fomos para o hotel dormir.


7ª parada: Buenos Aires

Ficamos em Buenos Aires 3 noites e poderiam ter sido mais. Só voltamos porque estava pertinho da eleição e eu queria votar, ai não teria mais tempo para viajar. Buenos Aires é gigantesca e super barata. E como é muito grande os trajetos entre os pontos turísticos demoram, então é bom programar um tempinho a mais.


Em Buenos Aires foi o único local onde pagamos por estacionamento na viagem toda. Ao lado do nosso hotel tinha um estacionamento 24hrs, muito bom porque tínhamos acesso às nossas coisas o tempo todo. E foi cerca de 20 reais por diária. Achei bem tranquilo o preço.


Na Argentina os pedágios são de 140 pesos argentinos, que dão cerca de 3 reais. Até Gualeguaychú não tem nenhum pedágio, pode deixar para pegar dinheiro na cidade. Depois até Buenos Aires tem alguns, acho que são 3.


Dica para economizar: a gasolina na Argentina está beeem mais barata do que no Uruguai. Eu abasteci num mesmo dia a 11 reais no Uruguai e a 2,80 em Buenos Aires. Então vale a pena encher o tanque antes de voltar.


Balsa de Buenos Aires para Colônia del Sacramento

Para voltar para o Uruguai nós optamos por colocar o carro na balsa que atravessa o Rio da Prata. Tem duas empresas que fazem esse serviço: a Colônia Express e a Buquebus. Pegamos a Buquebus.


Para economizar no valor da balsa eu fui até o terminal da Buquebus no dia anterior e paguei os bilhetes em dinheiro. Assim aproveitei a cotação do câmbio paralelo e paguei bem menos do que pagaria se tivesse comprado pelo site. Mas pagando em dinheiro tem acréscimo de 20%. Pague com o cartão da Nomad para evitar os 20% e pegar o câmbio tarjeta. Saiba mais aqui.


Pagando em dinheiro eu gastei uns R$ 600 em duas passagens para passageiro + a passagem do carro no ferry boat. Poderia ter economizado mais pagando com a Nomad, mas eu já tinha sacado o dinheiro em papel, porque achei que seria mais barato assim.


Achei que valeu a pena em relação à dar a volta em Gualeguaychú de novo, porque assim me economizou gasolina no Uruguai e uma noite de hotel que eu precisaria dormir antes de seguir viagem.


8ª parada: Montevidéu

Na volta dormimos de novo nos arredores de Montevidéu e seguimos.


9ª parada: Pelotas

Dormimos a última noite da viagem em Pelotas.


Eu separei o meu roteiro de carro pelo Uruguai e Buenos Aires dessa forma, acho que fez sentido e funcionou bem pra mim. Eu dirigi sozinha a viagem toda então foi meio cansativo alguns trechos, principalmente até Pelotas e entre Colônia e Buenos Aires.


Mas faria de novo tranquilamente.


Dicas de viagem no mapa

Quer saber o que visitar em cada cidade? Assinalei os melhores locais e dicas de viagem no meu mapa mundi. Para navegar é só dar zoom no local que você quer e clicar nos ícones. Esse mapa é atualizado quase diariamente com novas dicas e informações. É melhor para visualizar tudo no computador :)



Meu orçamento de viagem completo:

Veja quanto eu gastei nesses 16 dias viajando, deixei tudo certinho nesse vídeo (e já aproveita pra me seguir no Insta):


Vai viajar pro Uruguai? Veja outras dicas de viagem aqui no blog:
0 comentário

Kommentare


bottom of page